Tarifa de saque: como funciona? Entenda com a gente!

Entenda as tarifas dos bancos e como diminui os custos pra todos os usuários!
Por Equipe do Banco24Horas
29/12/2021
format_align_left 4 minutos de leitura

Pra começar, a gente precisa lembrar você de que as tarifas dos bancos variam de uma instituição pra outra. No Banco24Horas, não cobramos de quem faz saques com a gente, mas o seu banco pode fazer alguma cobrança quando você usa os nossos serviços, dependendo do plano.

As tarifas podem até parecer abusivas em alguns casos e incomodam a maioria das pessoas, mas há uma lógica por trás delas. O melhor pra se proteger de gastos imprevistos, mas sem abrir mão das vantagens de usar dinheiro, é entender as razões, os cálculos e as alternativas que você tem.

Basta acompanhar as informações que listamos e o raciocínio que usaremos nos próximos tópicos. Começaremos diferenciando as tarifas de outras cobranças, ok? Então vamos lá!

O que é uma tarifa de saque?

Basicamente, a tarifa de saque é um valor fixo cobrado por retirada efetuada acima do limite gratuito. A mesma lógica vale pra boa parte dos serviços bancários que permitem esse tipo de cobrança, o que está determinado na Resolução nº 3.919/2010 do Banco Central.

De acordo com a norma, qualquer correntista tem direito ao uso de vários serviços sem cobrança, desde que dentro de um limite mensal, que corresponde a:

  • 4 saques

  • 2 transferências — desde que entre contas do mesmo banco;

  • 3 extratos — 2 do mês anterior e 1 do atual;

  • 10 folhas de cheque por mês;

  • acesso pela internet;

  • cartão de débito.

Isso não significa que a instituição vai mesmo fornecer cheques pra você, por exemplo. Na maioria das situações o cartão de débito costuma ser suficiente. Mas, caso você queira, ela deve garantir até 10 folhas sem cobrança, ok?

A partir da 11ª folha descontada no mês a tarifa já é permitida, do mesmo modo que quando o correntista fizer mais de 4 saques ou de 2 transferências. Pra aqueles que precisam de mais desses serviços todos os meses, os bancos oferecem pacotes, com diferentes volumes de uso, adequados a cada perfil.

Nesse caso, é cobrado um valor mensal que garante descontos em relação às tarifas avulsas. Ou seja, elas têm a função de compensar a necessidade de serviços eventuais, mas não valem a pena no caso do consumo regular.

Talvez isso ainda pareça confuso, claro. Então, em outras palavras, se você precisa fazer 10 saques todo mês, o melhor é contratar um pacote que dê direito a essa quantidade, porque a tarifa de 6 saques adicionais ficaria mais cara.

Também existem diferenças nos casos de outros tipos de conta, como a salário, pra recebimento de aposentadorias, pensões, bolsas de estudo e programas governamentais, que isentam algumas cobranças e determinam limites específicos.

Como essa tarifa é calculada?

Pra deixar claro como é feito o cálculo, primeiro vamos considerar o exemplo de um cliente que usa uma conta simples, sem nenhum pacote de serviços adicional. Nesse caso, ele tem direito a 4 saques, o que significa que, a partir da 5° retirada será cobrada uma tarifa, que só incide sobre os saques excedentes.

Se ela for de R$ 5 e o cliente fizer 6 saques, o total será de R$ 10 em tarifa, que corresponde aos 2 saques além dos 4 permitidos. Mas a pessoa pode ter um pacote de serviços contratados, com direito a 10 saques por mês. Nessa situação, ela não precisará pagar nenhuma tarifa adicional, entende?

Mas, se esse mesmo cliente fizer 11 saques no mês seguinte, pagará R$ 5 de tarifa, pois elas não se acumulam. Quer dizer, se você não usar o número de saques a que tem direito em um mês, no período seguinte o número começa a ser contado no zero.  

Por que ela é cobrada?

A resposta mais curta é que existem custos pra oferecer qualquer serviço e as tarifas são uma forma de cobrança proporcional. Imagine, por exemplo, um banco fictício com apenas 10 clientes. Cada um deles usa serviços diversos, sendo que dois fazem tudo online, com 4 saques programados no mês.

Só que as outras pessoas do grupo não são tão organizadas com as finanças e imprimem extratos quase que diariamente, fazem saques sem controle e não gostam de usar os aplicativos. Se os bancos somassem todas as despesas necessárias pra manter a estrutura de atendimento e as dividisse por igual, todos os clientes pagariam a mesma coisa e os 2 mais econômicos seriam prejudicados.

Com a cobrança da tarifa, os serviços são sustentados na proporção de uso. Os que mais sacam, pagam mais, e os que se programam melhor, menos — ou são isentos da cobrança, se não ultrapassarem o limite de 4 saques mensais.

No final, as tarifas de saque funcionam como uma forma de otimizar os gastos gerais e diminuir o custo das transações com dinheiro em espécie pra todo mundo, pois estimulam a todos pra que evitem o uso descontrolado.

O mais legal disso é que cada um pode usar os serviços bancários como quiser e puder, sem criar despesas para os outros. Existe também um controle da Febraban sobre o que os bancos cobram, assim como um grande interesse e esforço deles em diminuir custos. E isso, claro, atrai mais clientes.

O que é feito com essa tarifa?

Com tudo o que falamos até aqui, já dá pra deduzir o destino dado às tarifas pelos bancos que, basicamente, as usam pra cobrir parte das despesas de manutenção da estrutura que garante a prestação dos serviços necessários à manutenção da conta.

Independentemente dos produtos usados pelos clientes, toda a operação precisa ser mantida, os colaboradores remunerados e os acionistas compensados. Sem a cobrança das tarifas, os bancos tradicionais precisariam eliminar serviços e vantagens. Também poderia ocorrer um uso indiscriminado dos serviços, aumentando os custos pra todos.

Aliás, é bom lembrar que o setor bancário foi pioneiro na adoção de muitas tecnologias de automação. Isso foi importante pra diminuir custos operacionais e viabilizar o acesso aos serviços bancários, que eram ainda mais restritos a um público específico.

Em parceria com essas instituições, o Banco24Horas contribuiu para o processo de bancarização, instalando os caixas eletrônicos em muitos locais distantes, que não contavam com agências bancárias, e espalhados pelas cidades. Tudo isso, sem cobrar nenhuma tarifa de você.

Pra terminar, a gente sabe que as tarifas dos bancos, assim como as taxas de entrega de mercadorias, estão entre as despesas que mais incomodam os clientes, mesmo que não sejam muito altas. Pra evitá-las, só há um modo: saber usar os serviços sem gerar custos adicionais pra você. Pra ajudar ainda mais com isso, separamos uma postagem que complementa a nossa conversa de hoje.

Então, aprenda agora como tirar dinheiro do caixa eletrônico de graça! Garantimos que não é com nenhum truque hacker!

Fique por dentro das nossas novidades.
Segurança financeira
Baixe o e-book sobre segurança financeira
Planilha financeira
Baixe sua planilha financeira

Mais Lidos

nathalia-arcuri
Educação financeira
7 dicas de como começar a investir com Nathalia Arcuri, do Me Poupe!
como-conseguir-descontos
Educação financeira
Como conseguir descontos e economizar (muito) dinheiro?
sacar sem cartão (1)
Caixa eletrônico
Quais operações podem ser feitas sem o uso do cartão físico?
Recomendados para você

Quais são os melhores investimentos em 2022 para os brasileiros?

Descubra quais são os investimentos mais aquecidos para 2022 no Brasil e entenda como começar a aplicar seu dinheiro.

9 dicas para você poupar dinheiro todos os meses

Quer poupar dinheiro? Então, chegou a hora de conferir algumas dicas que vão ajudá-lo a fazer isso todos os meses!

Gestão de tempo: como ser mais produtivo?

Gestão de tempo: saiba o que fazer pra tornar seu dia mais organizado e produtivo. Confira tudo neste post!

9 curiosidades sobre o dinheiro no Brasil

Conheça o histórico monetário do Brasil e as principais curiosidades sobre o dinheiro em nosso país!

Independência financeira: o que é e como alcançá-la

Independência financeira versus liberdade financeira: entenda quais são as principais diferenças entre elas e saiba como se tornar financeiramente independente

Como viajar gastando pouco: confira 7 dicas

Planejamento é a chave para curtir uma viagem inesquecível sem comprometer o orçamento! Descubra dicas infalíveis aqui!

Ideias para festa junina: conheça as festas de cada região do Brasil

Sem ideias para montar sua própria festa junina? Descubra como acontecem os festejos em cada canto do país!

O que dar de presente no dia dos namorados?

Sem ideias para surpreender a pessoa amada no dia dos namorados? Veja as nossas sugestões para acertar em cheio no presente e tornar a data ainda mais especial!

Planejamento financeiro familiar: entenda o que é e como implementá-lo

VER TODOS OS CONTEÚDOS

keyboard_arrow_right
Fique por dentro das nossas novidades.
Deixe seu email aqui (fique tranquilo, não fazemos spam)
Téo ChatBot