Open banking: o que é, como funciona, benefícios e mais

O open banking vai mudar o mercado financeiro e trazer vantagens ao consumidor.
Por Equipe do Banco24Horas
29/04/2021
format_align_left 4 minutos de leitura

O open banking está chegando pra mudar a forma como o sistema financeiro se relaciona com as pessoas. Conhecido em português como "sistema bancário aberto", é um modelo que permite compartilhar dados e histórico de uma pessoa — desde que ela aceite, é claro!

É um movimento que começou na Europa, principalmente no Reino Unido, e agora o Brasil caminha para o mesmo lado.

Apesar de causar estranheza ao primeiro olhar, afinal, envolve muitas questões de privacidade, saiba que o open banking pode ser bem vantajoso pra você.

Conversamos com Tiago Aguiar — Head de Novas Plataformas da TecBan — e Rogério Melfi — Consultor de Novas Plataformas da TecBan —, que trouxeram informações importantes sobre o tema. Venha com a gente e fique por dentro!

O que é e como funciona o open banking?

Falando de um jeito bem simples, o open banking é um sistema bancário aberto, que vem pra simplificar os processos no mercado financeiro e na economia digital. É como uma rede de dados, que são compartilhados entre as instituições financeiras, desde que haja consentimento do cliente. 

Com isso, as instituições têm acesso a informações como saldos, meios de pagamento, empréstimos, histórico de pagamento de contas em dia (ou em atraso).

Como o Rogério nos contou, a mudança é bem positiva:

Qual a diferença entre open banking e open finance?

Enquanto o open banking impacta bancos e fintechs (termo inglês que surgiu da junção entre finanças e tecnologia) e ajuda a otimizar as operações do sistema bancário, o open finance é mais expansivo, ampliando essa oportunidade pra todo o sistema financeiro, como seguros e investimentos. É uma forma de deixar com o cliente a função de decisão sobre seus dados, permitindo que ele movimente suas contas em diferentes plataformas.

Empresas de tecnologia poderão acessar interfaces e criar aplicações e recursos junto aos bancos, pra garantir que o atendimento dos clientes seja cada vez melhor. A TecBan, dona e gestora do Banco24Horas, é ligada nessas inovações e já abraçou a oportunidade.

É como o Tiago explica:

A nova plataforma apresenta o conceito de Open Banking as a Service e foi desenvolvida em parceria com a Ozone, seus fundadores cuidaram da implantação do open banking no Reino Unido.

A plataforma ajuda as instituições financeiras a adequarem suas bases de dados e APIs (Application Programming Interface, na sigla em inglês — e passem a usar o novo ecossistema, com supervisão do Banco Central brasileiro.

O Tiago complementa: “Somos um facilitador tecnológico. A instituição se preocupa com a entrega de valor ao cliente. A gente cuida da parte por trás disso”.

O Head de Novas Plataformas da TecBan ainda entende que a plataforma é vista como um grande investimento: “ela faz a autenticação de usuários, certificação de dados e realiza a gestão de consentimentos. Com isso, a instituição não precisa deslocar uma equipe inteira ou até mesmo contratar pessoal para fazer esse tipo de serviço”.

Os 6 pilares da plataforma são os seguintes:

  • portal do desenvolvedor;

  • API Gateway;

  • gerenciamento de token;

  • administração e relatórios;

  • gestão de consentimento;

  • gestão de parceiros.

Quais são as vantagens do open banking?

Agora que já apresentamos as linhas gerais do open banking, queremos te mostrar por que esse sistema traz muitos benefícios no dia a dia. Vamos lá!

Ampliação do leque de serviços pra pessoas e empresas

Uma das principais vantagens do open banking está relacionada à maior disponibilidade para todos os usuários. Consumidores finais, como você, terão mais liberdade de escolha quando precisarem de serviços bancários. Veja o exemplo que o Rogério nos contou pra confirmar esse ponto:

Além disso, o open banking colabora com a inclusão financeira, pois novas plataformas e serviços serão criados para quem ainda não tem conta em banco.

E pensando do lado de setores do mercado, como o bancário e o varejista, há muitos pontos positivos para as instituições e os comércios, que poderão aprimorar o desenvolvimento de seus produtos e serviços. Com o suporte do open banking, poderão:

  • garantir mais confiança aos clientes;

  • aumentar a rede de atendimento;

  • melhorar a eficiência de operações de crédito, parcelamento e financiamentos;

  • customizar a oferta para cada tipo de consumidor, o que tende a favorecer a redução de despesas de negócio.

Muito interessante, não é mesmo? E para que tudo isso dê certo, o Consultor de Novas Plataformas da TecBan comenta que o sucesso da implementação do open banking vai exigir das empresas um trabalho constante de manutenção de sistemas seguros e dentro das regras relacionadas à proteção de dados da LGPD, a Lei Geral de Proteção de Dados, que entrou em vigor no Brasil em 2020.

Autonomia

O consumidor não só terá mais acesso aos serviços, como vimos acima, mas também autonomia, pois terá mais poder pra gerir os próprios dados. Com a chegada do novo modelo, o cliente terá total controle das suas informações e poderá oferecê-las de modo seguro a terceiros. E o melhor de tudo: poderá revogar o consentimento a qualquer hora!

Tudo isso garante que os consumidores conseguirão optar pelos produtos que mais se adequem às suas necessidades. É bom para a economia e para o ecossistema financeiro como um todo. Além disso, quando precisarem mudar de instituição bancária, as pessoas não enfrentarão burocracias.

Mais eficiência e oportunidades

Como já comentamos, o open banking vai trazer ganho de eficiência pra atividades rotineiras de banco. Como o sistema bancário aberto promove mais intermediação de tecnologia e APIs, os serviços tendem a se tornar mais práticos, rápidos e menos custosos.

E os usuários também estarão mais próximos de boas oportunidades financeiras. As pessoas poderão receber propostas atrativas de diferentes instituições, como o financiamento de um empréstimo. Com as informações mais facilmente em mãos, terão mais chances de escolher a opções proveitosas — o que tem tudo a ver com o maior acesso a serviços e a autonomia, não é mesmo?

Como será a implementação do open banking no Brasil?

A implementação do open banking no Brasil envolve 4 etapas, a serem aplicadas ao longo de 2021:

  • 1º de fevereiro: foram abertos os dados dos produtos e serviços das instituições participantes, além de informações de canais de atendimento e taxas;

  • 15 de julho: nessa fase, serão abertos os dados dos clientes, suas transações de contas, saldos e operações de crédito, sempre com o consentimento deles;

  • 30 de agosto: iniciação de transações de pagamentos e encaminhamento de propostas de operação de crédito entre instituições financeiras;

  • 15 de dezembro: expansão do escopo de dados, com compartilhamento de dados sobre operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência complementar.

O sistema open banking já deu a largada fora do Brasil, e o que temos visto é que traz ganhos a todos os envolvidos. Com o open finance, a ideia é aumentar a capilaridade nos serviços bancários e, com isso, facilitar a inclusão financeira, expandindo ainda mais a distribuição de serviços.

Por último, vale dizer que o sistema deve ajudar na manutenção da circulação do dinheiro, que é bem importante para os brasileiros. Como o Tiago bem lembrou, um levantamento da TecBan mostrou que o uso do papel-moeda cresceu, mesmo com o coronavírus. O valor médio do saque aumentou em 18% no terceiro trimestre de 2020, em comparação ao mesmo período de 2019.

Isso sinaliza que o dinheiro seguirá sendo muito usado e que tecnologias como o open banking e o open finance vêm como aliadas para promover a integração entre o físico e o digital, uma tendência importante que a gente sempre mostra pra você aqui no blog.

Gostou de ficar por dentro da novidade do open banking? Caso precise de mais ajuda, já sabe: é só entrar em contato com a gente!

tags: Inovação
Busca do Blog
Fique por dentro das nossas novidades.
Segurança financeira
Baixe o e-book sobre segurança financeira
Planilha financeira
Baixe sua planilha financeira

Mais Lidos

nathalia-arcuri
Educação financeira
7 dicas de como começar a investir com Nathalia Arcuri, do Me Poupe!
como-conseguir-descontos
Educação financeira
Como conseguir descontos e economizar (muito) dinheiro?
sacar sem cartão (1)
Caixa eletrônico
Quais operações podem ser feitas sem o uso do cartão físico?
Recomendados para você

O que é fintech? Tudo o que você precisa saber sobre o tema!

Contaram pra você que as fintechs eram inimigas dos bancos? Entenda aqui como elas podem ser integradas aos serviços de banco no dia a dia!

Conversa com Ana Fontes, da RME: o que é empreendedorismo social?

Para falar sobre empreendedorismo social e a relação com o empoderamento das mulheres, batemos um papo com Ana Fontes, da Rede Mulher Empreendedora.

Cash in: conheça as vantagens e comodidades para o consumidor

Já conhece o cash in? Contamos, aqui, as diversas vantagens dessa funcionalidade. Confira em nosso conteúdo!

Conheça as 6 principais etapas de produção do dinheiro

O processo de impressão é uma aula de sofisticação e segurança. Veja os 6 passos do caminho de produção do dinheiro!

Saiba como o Banco24Horas movimenta a economia do nosso país

Você sabia que o Banco24Horas aposta em algumas práticas importantes pra movimentar a economia? Leia o post!

Fique por dentro de 6 serviços bancários gratuitos

Entenda quais são os 6 principais serviços bancários gratuitos e como o Banco24Horas faz a diferença pra você aproveitar esses benefícios!

Entenda como o Banco24Horas está contribuindo na economia digital

A transformação digital chegou ao setor financeiro. Entenda como o Banco24Horas está ajudando a inovação a dar importantes passos no Brasil!

Bancarização: saiba o que é e por que é importante

A bancarização promove uma série de benefícios à sociedade. Venha saber mais sobre esse processo com a gente!

VER TODOS OS CONTEÚDOS

keyboard_arrow_right
Fique por dentro das nossas novidades.
Deixe seu email aqui (fique tranquilo, não fazemos spam)
Téo ChatBot